A Sociedade Interamericana de Imprensa é uma organização sem fins lucrativos que se dedica a  defender a liberdade de expressão e de imprensa em todas as Américas.

Seus principais objetivos são:

  • Defender a liberdade de imprensa nas Américas, onde quer que esteja sendo ameaçada
  • Proteger os interesses da imprensa nas Américas
  • Defender a dignidade, os direitos e as responsabilidades do jornalismo
  • Promover um alto nível de profissionalismo e conduta empresarial
  • Promover a troca de idéias e informações que contribuam para o desenvolvimento técnico e profissional da imprensa
  • Promover um conhecimento amplo e uma maior troca de informações entre os povos das Américas para apoiar os princípios básicos de uma sociedade livre e da liberdade individual.

Tudo começou em 1926, quando o Primeiro Congresso Pan-americano de Jornalistas, realizado em Washington, D.C., aprovou uma resolução que recomendava a criação de um órgão interamericano permanente de jornalistas. Essa resolução, no entanto, ficou esquecida até 1942, quando se realizou no México o Congresso Pan-americano seguinte, também denominado “primeiro”, e quando se decidiu criar uma Comissão Permanente.

Conferências posteriores realizadas em Caracas, Bogotá e Quito estabeleceram a SIP com seu nome atual e aprovaram seus Estatutos e Regulamentos.
No começo, tratava-se de uma organização latino-americana. Em 1946, vários editores e diretores fundaram um grupo nos Estados Unidos.

1950 trouxe uma mudança de direção para a SIP. Até então, as conferências tinham sido patrocinadas e financiadas pelos governos dos países anfitriões; os países tinham direito a voto e muitos sócios não eram jornalistas.

Os sócios fizeram mudanças fundamentais e adotaram novas regulamentações que eliminaram os patrocínios. Desde então, a SIP depende dos fundos recebidos dos seus sócios e de doações de fundações. Os sócios da SIP são publicações ou cadeias de jornais. Atualmente, os sócios representam suas publicações e cada um tem direito a um voto.

A SIP é composta por 1.300 publicações afiliadas, com uma circulação total superior a 43 milhões de exemplares impressos e um número crescente de leitores pela Internet.

O principal evento anual da SIP é a Assembléia Geral, a qual, segundo os Estatutos, é realizada anualmente em outubro, alternadamente na América do Norte e em países ibero-americanos.

Presidentes de todos os países do hemisfério ocidental e personalidades importantes participam das atividades da Assembléia, na qual se analisa a situação da liberdade de imprensa na região. Painéis com a participação de acadêmicos e intelectuais, incluindo vencedores do Prêmio Nobel, contribuem para o brilho da reunião.

Em março, a SIP realiza a sua Reunião de Meio de Ano, em um formato muito semelhante ao da Assembléia Geral. Os dois eventos reúnem centenas de participantes.

SERVICIOS

La Sociedad Interamericana de Prensa realiza en forma periódica, metódica y sistemática una gran variedad de actividades destinadas a servir a su misión de defender y promover la libertad de prensa. 

Entre las más destacadas: El monitoreo constante de violaciones a la libertad de prensa y de expresión en cada pais de las Américas y la publicación de informes semestrales.

Una labor diaria de vigilancia, denuncia y movilización de sus directivos, personalidades e instituciones en defensa de la libertad de expresión y los intereses de la prensa en las Américas.

Campañas públicas a través de publicaciones adheridas o no a la SIP, sobre temas de libertad de prensa y la denuncia de crímenes contra periodistas.

Labor de gestión a nivel de los poderes del Estado para promover leyes de acceso a la información pública y eliminar la legislación que restringe la libertad de prensa. 

Apoyo pro-activo a la creación y divulgación de una jurisprudencia supra-nacional que sirva como precedente favorable a la libertad de expresión en el hemisferio.

La organización de foros de emergencia, conformados por delegaciones internacionales, con el objetivo de demandar in situ cambios favorables a la libertad de prensa.

La realización de misiones de divulgación sobre la lucha contra la impunidad en los crímenes contra periodistas, mediante seminarios en todos los países del hemisferio.

La denuncia y divulgación profusa e inmediata de violaciones, amenazas o agresiones a los periodistas y a los medios de comunicación, a través de resoluciones, comunicados de prensa, protestas y denuncias de carácter público.

La creación y actualización constante de un Mapa de Riesgo para el ejercicio del periodismo en las Américas, que sirve como guía para la protección de los profesionales de la comunicación que se movilizan por las ciudades y al interior de los países más conflictivos. 

La movilización de los periodistas-investigativos de las Unidades de Respuesta Rápida, en caso de asesinatos de periodistas en cualquier sitio del hemisferio.

El apoyo moral y la solidaridad con periodistas encarcelados por ejercer su profesión, ya sea mediante visitas a la cárcel o, cuando imposibilitados, mediante el apoyo directo a sus familiares, como en el caso de los periodistas independientes en Cuba.

Visitas de emergencia a países con casos que atenten contra la libertad de expresión y de prensa.

PROGRAMAS

Liberdade de Imprensa

O eixo de sustentação da SIP é a Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação, a qual monitora constantemente todas as violações à liberdade de imprensa no hemisfério ocidental e informa sobre essas violações nos seus relatórios semestrais. A Comissão trabalha da seguinte forma:

Cada país tem um vice-presidente regional que informa a Comissão sobre os problemas e as situações que afetam a liberdade de imprensa nesse país.

Os relatórios são revisados e discutidos duas vezes por ano: na reunião de Meio de Ano, realizada no primeiro semestre, e na Assembléia Geral, realizada em outubro. A Comissão apresenta suas conclusões e recomendações ao conselho diretor.

Os relatórios e resoluções sobre a liberdade de imprensa são distribuídos entre os governos, organizações intergovernamentais e da sociedade civil nas Américas e no mundo, com a ajuda do Comitê Coordenador Global das Organizações de Liberdade de Imprensa.

As respostas a ameaças ou violações à liberdade de imprensa podem variar e vão desde a publicação de uma simples resolução mostrando que a nossa organização está a par de uma possível ameaça, ao envio de uma missão especial para que nossos sócios possam investigar mais o assuto ou à discussão do problema diretamente com os responsáveis.

Projeto Chapultepec

A Declaração baseia-se na idéia de que “nenhuma lei ou medida do governo pode limitar a liberdade de expressão ou de imprensa, independentemente do meio”. A Declaração de Chapultepec é única entre os documentos internacionais porque foi redigida por cidadãos privados sem participação de nenhum governo.

O Projeto Chapultepec da SIP começou em 1994 e desde então tem sido mantido com o apoio financeiro da Fundação Robert R. McCormick Tribune. Seu objetivo inicial (de 1996 a 2001) era promover um entendimento mais amplo do público sobre a importância da liberdade de imprensa para uma democracia sustentável e para o bem-estar social, de acordo com os 10 princípios da Declaração.

Depois que esses princípios foram estabelecidos como padrão para a liberdade de imprensa, ficou claro que seria necessário fortalecer os vínculos com as instituições judiciárias e legislativas para que incorporassem esses princípios às suas culturas políticas. O projeto concentrou-se, então, no ramo judiciário (de 2002 a 2004) para fornecer ferramentas para uma melhor interpretação da legislação sobre esses direitos.

Desde 2005, Chapultepec aproximou-se do ramo legislativo em uma tentativa de conseguir que a legislação federal esteja alinhada aos princípios, em todos os países do hemisfério.

Projeto contra a Impunidade

O Projeto contra a Impunidade, criado em 1995, tem como principal objetivo diminuir a impunidade que existe na maior parte dos crimes contra jornalistas.

Um fator determinante para o Projeto é o patrocínio generoso e irrestrito da Fundação John S. e James L. Knight, que já forneceu um total de US$ 7,7 milhões para projetos entre 1992 até 2011 para a campanha contra a impunidade e o programa de liberdade de imprensa.

As principais contribuições para o trabalho do Projeto contra a Impunidade são:

Defesa: através de missões a países e resoluções e petições especiais.

Investigação: através dos jornalistas investigativos que fazem parte da Unidade de Resposta Rápida da SIP.

Conscientização: através de uma campanha pública feita nos meios impressos e eletrônicos para conscientização sobre a impunidade e pedidos de justiça.

Treinamento: através da realização de conferências para ajudar os jornalistas a diminuir os riscos durante sua cobertura profissional.

Instituto de Imprensa

Em 1957, os sócios da SIP fundaram o Centro Técnico da SIP, uma entidade independente sem fins lucrativos, para oferecer aos sócios – especialmente àqueles na América Latina – informações e assistência técnica. A filosofia de base para a criação do Centro foi que é mais difícil eliminar uma publicação se esta possuir uma alta qualidade técnica.

O Centro Técnico ampliou suas atividades em 1962, com uma doação de US$1 milhão da Fundação Ford. E desde então ampliou suas atividades e se tornou auto-suficiente.

Em 1995 seu nome foi mudado para Instituto de Imprensa da SIP. Hoje, seu trabalho inclui a organização de seminários, a edição de uma revista trimestral, Hora de Cierre , que inclui um encarte em português, e publicou vários livros sobre jornalismo

Outras Atividades

Prêmios

O prêmio de Excelência Jornalística da Sociedade Interamericana de Imprensa é único na sua categoria, em termos de volume e importância. Publicações e agências de notícias de mais de 33 países das Américas e do Caribe apresentam seus melhores trabalhos em espanhol, português ou inglês no concurso.

CLAEJ

O Conselho Latino-americano de Acreditação da Educação em Jornalismo (CLAEJ) dedica-se a estimular e promover a excelência no ensino profissional do jornalismo.

O Conselho considera que os alunos das universidades que se preparam para uma carreira em jornalismo podem se preparar melhor se sua instituição seguir padrões internacionais de qualidade.

O Conselho reconhece que a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa são indispensáveis em uma sociedade livre e que o ensino profissional oferecido pelos programas credenciados deve estimular a existência de vários pontos de vista, o questionamento e a liberdade de expressão.

Fundo de Bolsas

A Sociedade Interamericana de Imprensa foi criada em 1942 para defender e promover o direito dos povos das Américas de se manterem livremente informados através de uma imprensa independente. Esse direito é a base da liberdade coletiva e individual.

Ao mesmo tempo, a SIP reconhecia e reconhece também que uma imprensa independente não pode ser seu único objetivo. É indispensável também ter um jornalismo responsável, objetivo e aberto a todas as correntes, para contribuir assim para uma melhor compreensão entre os povos do hemisfério ocidental.

Biblioteca Freedom Forum

Freedom Forum é uma fundação que se dedica a defender a liberdade de imprensa, a liberdade de expressão e a liberdade de espírito para todas as pessoas.

Suas prioridades são os tópicos da Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos, a diversidade nas redações e um museu interativo de notícias, o Newseum, que foi inaugurado em 2007 em Washington, D.C.


CONTACTENOS

Os funcionários da SIP

SOCIEDADE INTERAMERICANA DE IMPRENSA
1801 SW 3rd Avenue
Miami, Florida 33129
Teléfono: (305) 634-2465
Fax: (305) 635-2272
E-mail: info@sipiapa.org

  • Diretor Executivo Ricardo Trotti / rtrotti@sipiapa.org / cel. (305) 987-3363
  • Secretária do Diretor Executivo / Martha Estrada / mestrada@sipiapa.org
  • Comitê de Liberdade de Imprensa, Assistente / Melba Jiménez / mjimenez@sipiapa.org
  • Contabilidade / Ana María Pérez / aperez@sipiapa.org
  • Assistente de Contabilidade / Lázaro Hernandez / lhernandez@sipiapa.org
  • Coordenadora de novos membros e Promoção / Paola Dirube / pdirube@sipiapa.org
  • Publicaçoes e Instituto de Imprensa /   Horacio Ruiz / hruiz@sipiapa.org
  • Coordenador de Seminário / Emilio Sánchez / esanchez@sipiapa.org 
  • Coordinador de Projetos / IT Alfonso Juárez / ajuarez@sipiapa.org
  • Coordenador Scholarship Fund / Mauricio Montaldo / mmontaldo@sipiapa.org