14 Março 2016

SIP condena assassinato de radialista no Brasil

Aa
$.-

Miami (14 de março de 2016).- A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) condenou o assassinato do radialista brasileiro João Valdecir de Borba, morto enquanto apresentava ao vivo seu programa de rádio. A organização hemisférica pede que as autoridades investiguem imediatamente o assassinato para apurar responsabilidades.


No dia 10 de mar√ßo, dois homens armados entraram na R√°dio Difusora AM, no munic√≠pio de S√£o Jorge do Oeste, no Paran√°. Os homens prenderam um empregado da r√°dio no banheiro e dispararam contra o abd√īmen do radialista enquanto ele apresentava seu programa musical. Borba foi levado a um hospital, onde faleceu.


O presidente da Comiss√£o de Liberdade de Imprensa e Informa√ß√£o da SIP, Claudio Paolillo, lamentou o assassinato do radialista: "Pedimos que as autoridades fa√ßam uma investiga√ß√£o detalhada e imediata para descobrir os motivos do crime e levar os respons√°veis √† justi√ßa", disse Paolillo, diretor do seman√°rio B√ļsqueda, do Uruguai.


Segundo informa√ß√Ķes que testemunhas forneceram √† m√≠dia local, os desconhecidos fugiram do local em um autom√≥vel. Borba, de 51 anos, trabalhava h√° dez anos na R√°dio Difusora AM.


A SIP e outras organiza√ß√Ķes de imprensa v√™m alertando constantemente sobre os riscos enfrentados pelos jornalistas e o aumento dos assassinatos no Brasil, onde, no ano passado, foram seis profissionais da imprensa foram mortos.


A SIP √© uma entidade sem fins lucrativos que se dedica √† defesa e promo√ß√£o da liberdade de imprensa e de express√£o nas Am√©ricas. Congrega mais de 1.300 publica√ß√Ķes do hemisf√©rio ocidental e tem sede em Miami, Estados Unidos. Para obter mais informa√ß√Ķes, acesse http://www.sipiapa.org

Compartilhar

0