14 Março 2016

SIP condena assassinato de radialista no Brasil

Aa
$.-

Miami (14 de março de 2016).- A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) condenou o assassinato do radialista brasileiro João Valdecir de Borba, morto enquanto apresentava ao vivo seu programa de rádio. A organização hemisférica pede que as autoridades investiguem imediatamente o assassinato para apurar responsabilidades.


No dia 10 de março, dois homens armados entraram na Rádio Difusora AM, no município de São Jorge do Oeste, no Paraná. Os homens prenderam um empregado da rádio no banheiro e dispararam contra o abdômen do radialista enquanto ele apresentava seu programa musical. Borba foi levado a um hospital, onde faleceu.


O presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação da SIP, Claudio Paolillo, lamentou o assassinato do radialista: "Pedimos que as autoridades façam uma investigação detalhada e imediata para descobrir os motivos do crime e levar os responsáveis à justiça", disse Paolillo, diretor do semanário Búsqueda, do Uruguai.


Segundo informações que testemunhas forneceram à mídia local, os desconhecidos fugiram do local em um automóvel. Borba, de 51 anos, trabalhava há dez anos na Rádio Difusora AM.


A SIP e outras organizações de imprensa vêm alertando constantemente sobre os riscos enfrentados pelos jornalistas e o aumento dos assassinatos no Brasil, onde, no ano passado, foram seis profissionais da imprensa foram mortos.


A SIP é uma entidade sem fins lucrativos que se dedica à defesa e promoção da liberdade de imprensa e de expressão nas Américas. Congrega mais de 1.300 publicações do hemisfério ocidental e tem sede em Miami, Estados Unidos. Para obter mais informações, acesse http://www.sipiapa.org

Compartilhar

0